terça-feira, 28 de dezembro de 2010

A diferença e semelhança entre Psicologia e Psiquiatria.

Psicologia é uma disciplina acadêmica e aplicada, envolvendo o estudo científico dos processos mentais, emoções, personalidade, comportamento e relacionamentos. Psicologia também se refere à aplicação de tais conhecimentos a várias esferas da atividade humana, incluindo os problemas da vida dos indivíduos diária eo tratamento de problemas de saúde mental.

Psicologia difere das outras ciências sociais? antropologia, economia, ciência política e sociologia? na tentativa de explicar o pensamento, emoção e comportamento dos indivíduos, casais, famílias e outros grupos sociais. Psicologia difere de biologia e neurociência na medida em que está principalmente preocupada com a mente em vez de cérebro, em outras palavras, experiência e comportamento e não a estrutura ou química do cérebro. No entanto, o subcampo de estudos de neuropsicologia os processos neurais reais e como estes se relacionam aos fenômenos mentais e experiencial. É claro que nossa experiência de vida influencia os estados de nosso cérebro, e vice-versa de forma complexa.


Psiquiatria é uma especialidade médica que trata da prevenção, avaliação, diagnóstico, tratamento e reabilitação das doenças mentais. Seu objetivo principal é o alívio do sofrimento mental associado com sintomas de transtorno mental ea melhoria do bem-estar. Isto pode ser baseado em hospitais ou na comunidade e os pacientes podem ser voluntárias ou involuntárias. Psiquiatria adota uma abordagem médica, mas pode tomar-se em conta aspectos biológicos, psicológicos, sociais e / perspectivas culturais. O tratamento por medicamentos em conjunto com várias formas de psicoterapia pode ser realizada e revelou-se mais eficaz no tratamento bem sucedido. «Psiquiatria» A palavra deriva do grego para "cura do espírito".



Ambos estão interessados no comportamento humano, especialmente os aspectos da doença mental. E as vezes trabalham em conjunto no tratamento de pacientes. Os psiquiatras são treinados dentro do modelo médico e são mais propensos a confiar em drogas como forma de tratamento primário. Os psicólogos são treinados como cientistas e na maioria dos lugares (Novo México e Louisiana, são as exceções em os EUA) não pode prescrever medicação. Como muitos tipos de doença mental parecem responder melhor a uma combinação de drogas e terapia, psiquiatras e psicólogos podem tanto estar envolvido com os mesmos pacientes, lidar com diferentes aspectos de seus problemas.

A Sociologia como ciência

Sociologia (no sentido em que esta palavra muito ambígua é usado aqui) é uma ciência que busca a compreensão interpretativa da ação social para, assim, chegar a uma explicação causal do seu curso e seus efeitos. Na "ação" está incluído todo o comportamento humano quando e na medida em que o indivíduo agindo atribui um significado subjetivo a ele. A ação neste sentido pode ser ostensiva ou puramente interior ou subjetiva, que pode consistir de uma intervenção positiva em uma situação, ou deliberadamente abster-se de tal intervenção ou passivamente, esquivar com a situação. A ação é social na medida em que, por força do significado subjetivo ligado a ele por cada ação (ou indivíduos), que leva em conta o comportamento dos outros e é assim orientada em seu curso.


A linha do tempo da sociedade

O que viria como o choque principal para uma sociedade medieval vendo o mundo de hoje, seria o tipo de estilo de vida de pessoas vivem hoje. A cultura moderna se concentra na idéia do humanismo e da importância do indivíduo. Este seria um conceito muito complicado para a mente medieval de entender, como sua civilização de valores oposto. Sua sociedade que respeitava a alma, na vida após a morte como vital, a vida espiritual. Esta vida era para agradar e adorar a Deus, não para satisfazer a si mesmo. Eles também não compreendem a abertura e aceitação da sociedade ocidental atual, como tantos tipos de pessoas poderiam se dar bem, sem distinção de raça, inteligência ou habilidades.


O corpo como produto

O que vemos no capitalismo é que o corpo também é visto como uma mercadoria.O pensamento nos dias atuais é que tudo pode ser um motivo para dar lucro e o corpo não fica fora desse critério.Estamos em uma época que a cultura do individualismo ajuda muito na satisfação desses novos valores que te pede para consumir prazeres não só do corpo ,mas também incentiva a vaidade no que diz respeito ao material.O consumo vem do que a sociedade impõe.A cultura de excesso entra também na satisfação ou não com o proprio corpo.


Corpo produtor ---> Corpo consumidor

A partir do momento em que a familia muda, a mudança no comportamento dos individuos também muda o corpo que antes era para reproduzir,deixar herdeiros e perpetuar a espécie ,agora é visto como objeto de prazer e para satisfazer as necessidades que a sociedade impoe, onde antes não se via nenhum motivo para de cultivar o corpo pois só uma ferramenta para o trabalho na atualidade além de ferramenta de trabalho é também uma estimulação de prazeres para que se expõe como produto e para quem está no lugar de consumidor.


Medicação para resolver

Nos dias atuais o consumismo desenfreado ganhou um aliado , as indústrias farmaceúticas . As maiores descobertas dos últimos tempos e que deram mais lucros a seus produtores foram farmacos que estão mais ligados a auto-estima do que uma doença.
O corpo que nunca está satisfeito procura modos para parecer mais atrante e que possa ser aceito melhor pela sociedade.O que não é conseguido de modo natural ,o que é sintético ajuda. Mas quando a medicação não resolve ,o corpo se torma vazio, e o individuo nos dias atuais não fica satisfeito e vai em busca do que lhe parecer se bom ,porque vem dai o fenômeno consumista de nunca estar satisfeito com o que tem .A Cultura do consumo é dobrada sobre o espírito competitivo. Ele pede que as pessoas jogam as suas forças e energia uns contra os outros para alcançar e realizar. Ao procurar a sua satisfação através dos bens e se torna um círculo vicioso em que cada vez mais a sociedade se vê refém.

"O consumo é a única finalidade e o único propósito." (Adam Smith- Economista,Filósofo)

A Psicologia vira ciência

A psicologia como ciência nasceu em na Alemanha. A psicologia tem no registro de nascimento a cidade de Leipzig. Considera-se como fundador da psicologia moderna Wilhelm Wundt, por ter criado, em 1879, o primeiro laboratório de psicologia na universidade de Leipzig, Alemanha. A psicologia se tornou uma ciência independente da filosofia graças a Wundt, nos finais do século XIX. Foi a partir deste acontecimento que se desenvolveram de forma sistemática as investigações em psicologia, através de vários autores que a esta ciência se dedicaram, construindo múltiplas escolas e teorias.
O campo de estudo da psicologia realmente nasceu quando Wilhelm Wundt criou o primeiro laboratório de psicologia .A pesquisa de Wundt utilizou uma escola de pensamento conhecida como estruturalismo, que envolveu descrever as estruturas que compõem a mente. Essa perspectiva se baseou fortemente na análise das sensações e sentimentos através do uso de introspecção, um processo altamente subjetivo.Wundt acreditava que os indivíduos devidamente treinados seria capaz de identificar com precisão os processos mentais que os sentimentos acompanhados, sensações e pensamentos.

Método de Introspectivo

Surgiu nos experimentações de impressoes quando pessoas viam objetos e davam suas impressões, de elementos menos complexos para mais complexos.



As cinco visões do mundo

Arte, Ciência, Religião, Filosofia: Os Componentes da Consciência.
A arte é para agradar, a religião é o medo, a ciência é observar, a filosofia é a dúvida.
Não deve haver nenhuma dúvida de que a arte veio primeiro e isso aconteceu muito antes de os outros elementos de consciência veio a vida. a arte surgiu muito antes da fala. Os primeiros seres humanos imitaram os sons do ambiente. Os sons da música tornou-se por muitos milhares de anos. Os primeiros seres humanos imitaram os movimentos enganosos das chamas do fogo. Os movimentos de dança tornou-se por muitos milhares de anos. Arte feita uma contribuição decisiva para a fala.A fala, por sua vez, criou outros elementos da consciência. A religião foi a primeira forma. A civilização humana começa em vigor no Egito, Grécia, Atenas. Idade Média, Islamismo, Império Romano.A quebra de paradigmas , a maneira de ver as coisas, há explicações para tudo. Cai o Geocentrismo, criam se idealistas ,a familia muda , a relação alma que habitava o corpo não existe mais.A ciência surge e quer prever, medir as reações do corpo aos estímulos mentais.
Então temos o que é senso comum que engloba todas as outras visões mas com uma interpretação mas voltada para o nosso dia a dia , senso comum é o popular ,é a ciência que se aprende na vida.


O Instinto Humano


"A renúncia dos instintos parece ser um dos fundamentos do desenvolvimento da civilização humana." ( Sigmund Freud.)


O ser humano tem instinto ao nascer , mas algo muda quando há o começo da comunicação e adquire o que se pode chamar de pensamento elaborado . A influência da cultura faz com que o ser humano abandone coinscientemente o instinto.

Como podemos definir o normal e o patolôgico para a saúde mental?

Define se normal como aquele que está em conformidade com um hábito ou com um costume ou com o equilíbrio psíquico. Para ele, conduzir uma vida normal significa conduzir a vida de acordo com os costumes de um certo grupo social. Ainda de acordo com suas definições, ter uma mente normal indica boa saúde mental.
Imaginando o que todos nós falaríamos dessa sua definição, defende-se preventivamente dizendo que "...este uso do termo não é completamente impróprio porque embora as normas às quais este se refere sejam obtidas de generalizações empíricas, estas são, no entanto empregadas como critério de juízo e estabelecem portanto uma ‘normalidade’."
"De acordo com os costumes de um certo grupo social..." remete-nos ao conceito de normalidade estatística.
"...Ter uma mente normal indica boa saúde mental..." nos remete ao conceito de normalidade como bem estar, situação muito difícil de ser definida mas fácil de ser sentida pelas pessoas normais (não todas, ou será que a maioria não é realmente normal?) mas, embora difícil de ser sentida por pessoas em estado de neurose, torna-se fácil de ser sentida por pessoas que apresentam alguns estados patológicos, o que pode invalidar esse conceito de normalidade.
A normalidade psicanalítica segundo essa teoria poderia ser definida pelo menos de uma das seguintes formas:
- seria a pessoa que nunca sofreu qualquer forma de repressão a quaisquer de seus desejos inconscientes ou instintuais, tendo dado vazão a todos eles de forma natural e expontânea, nos momentos em que surgiram.
- ou então aquela pessoa que, em toda sua vida, só teve desejos inconscientes ou instintuais que estavam exatamente de acordo com as normas estabelecidas pela sociedade de que faz parte, não trazendo, portanto, qualquer conflito interior provocador dos sintomas.
- então aquela pessoa que, em toda sua vida, só teve desejos inconscientes ou instintuais que estavam exatamente de acordo com as normas que ela entende como sendo aquelas estabelecidas pela sociedade de que faz parte, não trazendo, portanto, qualquer conflito interior provocador dos sintomas.
Se a existência de uma anormalidade (psicanalítica estrutural) significa o conflito de funções entre ID (instintos), EGO (realidade) e SUPEREGO (moralidade), o mesmo raciocínio pode ser utilizado e chegaremos a um conceito de normalidade também falso.
Pelo que se pode concluir, cada um tem, a partir de sua vivência, um sentimento próprio do que seria a normalidade, procurando enquadrar suas idéias dentro de um conceito preestabelecido, o que nem sempre dá certo em todas as situações.

Analisando o Auto da barca do inferno

Por que você montaria essa peça hoje?

Essa peça poderia perfeitamente ser montada hoje, pois mesmo com 500 anos ela é muito atual por incrível que pareça.
As criticas que são feitas no texto poderia estar sendo feito por cada um de nós atualmente. O aspecto do bem e do mal é retratado há muito tempo pela sociedade, dependendo do tempo e do autor do texto cria uma impressão de defesa para a sua ideologia como podemos ver nesse auto.
Se houvesse uma montagem nos dias de hoje teriam que serem feitas varias adaptações. Podemos evidenciar uma tendência a defesa da igreja católica o que poderia causar alguma mal estar nos dias atuais assim como a crítica nítida aos judeus. Tudo isso deveria ser levado em consideração e uma adaptação é sempre valida para não descriminar nenhum setor da sociedade.É claro que é uma forma de expressão da arte de Gil Vicente mas houve uma evolução da época do texto para os dias atuais e temos uma mente mais esclarecidas e se tem informações e versões das diversas partes citadas nesse texto. O texto é simples e utiliza uma linguagem popular onde não teria nenhum trabalho para adaptar seu entendimento ao público , além de ser interessante para quem assiste porque propõe o que as pessoas fazem sem pensar que é julgar e criticar os personagens.

Qual a relevância da peça?

Podemos notar que o autor intitula esse texto como o auto da moralidade. Demonstra o que no pensamento dele havia de interpretação do que era certo e o errado naquela época.Provavelmente formava opinião de várias pessoas com os seus pensamentos . Em determinado tempo pode haver diversos modos de interpretar o que é certo e errado. O que era certo naquela época pode não ser visto como certo hoje por nós, como a própria discriminação religiosa. Mas não se pode deixar de notar as críticas a sociedade que deixou de ver Deus como o centro do mundo e começou a pregar que o corpo e o material era mais importante que as necessidades espirituais, foi nessa mesma época que esse texto foi escrito. Nesse tempo que deixou de existir a Era cristã e Deus foi posto como posição social para quem o seguisse .Nessa era moderna começou a valorizar o individualismo e a cultura de excesso e de consumo . Nesse texto podemos ver a crítica do ponto de vista de um humano que segue a lei de Deus e que mostrar o lado errado da cultura que começou a se formar naquela época que valorizava o corpo como um material de prazer e não de reprodução, o capitalismo começou a se difundir e o que era material foi dividindo a sociedade em posições que se levava em consideração os seus bens , e ainda os que se aproveitavam da sua posição no clero para manipular a nobreza .O texto com ironia passa o entendimento que os que tem esse defeito na Terra não alcançam a Glória literária e faz refletir se o que fazemos aqui não será julgado algum dia e todos pagarão por seus pecados. Faz refletir como agimos em vida será tudo levado em consideração quando chegarmos à morte. E que se é realmente tão importante o valorizamos em vida.
Pode se concluir com o texto que nada passará em branco, nada do que se faz deixará de ser lembrado no dia derradeiro. Mas a verdadeira mensagem que quer passar através das metáforas empregadas pelo Diabo é que será que só o que é palpável tem valor em nossas vidas? Será que devemos tomar lucro em tudo em detrimento de outras pessoas, há algo mais importante que status, riqueza e posição social?
Levar pessoas a terem consciência de seus atos falhos e lembrar que nada fica impune na vida. Tudo tem seu preço e tem seu julgamento, se não for dos homens será do Divino.
A intenção clara do texto é a reflexão sobre a moral e ensinamentos que pelo senso comum é certo e errado.


Paralelo entre a peça e os dias atuais.

Podemos comparar que há mais de 500 anos as pessoas usam seu poder ou sua posição para se beneficiar, ter vantagens e troca de favores, ainda pode igualar aos atos de enganação, pessoas que trapaceiam, os mais humildes para alcançar algum objetivo, passam por cima de seus semelhantes para terem beneficio próprio, e que lucram com a inocência alheia.
Ainda hoje vemos pessoas que tiram proveito de tudo e de todos para se ganhar algo a frente.. Nada se faz de graça ou sem troca. As vontades e desejos continuam os mesmos, os valores sociais só se acentuaram mais do que existia naquela época. Mas a cultura que te pede para consumir continua cada vez mais a evoluir. Na linha do tempo há grandes mudanças no comportamento das pessoas, mas pouco se muda no que se julga de valores sociais. O pensamento nos dias atuais é que tudo pode ser um motivo para se lucrar e o corpo não fica fora desse critério. A cultura do individualismo continua a imperar em nossas vidas, o incentivo a vaidade no que diz respeito ao material. O consumo vem do que a sociedade impõe o que não é diferente em relação ao tempo do texto onde tudo isso começou a ser visto com clareza. Então não se tem a menor dúvida que tem muita relação entre os dias em que Gil Vicente escreveu essa peça e o tempo em que se vive atualmente, os defeitos criticados pelo autor só aumentaram e se acentuaram de tal forma que ninguém confia em ninguém em que cada vez mais se vive do individualismo e egocentrismo .

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

eneagrama

Eneagrama-6

Chegar até aqui, é o início da busca, parabéns! Você pode ser um "tipo" 6 no Eneagrama. Leia a breve descrição abaixo e veja se ela "toca" você. Este teste é apenas uma possibilidade, uma orientação. Usar o Eneagrama para autodesenvolvimento é tarefa pessoal e intransferível.

Normalmente leal, trabalhador, cauteloso, o 6 é um pensador criativo. Desconfia da autoridade e tem tendência a contestar, entretanto, espera , inconscientemente, encontrar um líder confiável que não precise contestar. Os 6 sentem necessidade de segurança e aprovação, são geralmente hipervigilantes e tomam precauções contra qualquer ameaça, real ou percebida. Questionam as próprias decisões, os motivos dos outros e a segurança de qualquer situação. Para eles, imaginar as piores situações, é uma maneira inteligente de pensar. Costumam até irritar-se com pessoas que não previnem desastres ou as consideram agourentas. Seu objetivo é simplesmente estarem preparadas porém, parecem exageradas.

Podem variar de reservados e tímidos a francos e confrontadores - reagem ao medo - ou demonstrando ou "pulando logo" para ficar livre da sensação. Em geral não se reconhecem como tipos "medrosos" e nem mesmo se percebem como temerosos. Cautelosos, não vão se colocar em risco (ou os outros). Corteses, alegres e divertidos, são produtivos e impõem ordem na vida. Podem ter dificuldade em lidar com o sucesso, amedronta.
Apesar de serem contestadores, é importante para eles a tradição na família e na sociedade.

Procuram clareza em regras e regulamentos, não suportam suspense. São firmes, até agressivos, com os "subordinados" e, mesmo contestando, agem com submissão ao "chefe". Ao contrário da vigilância do 3 - ter tudo sob controle - sua vigilância procura significados ocultos, sempre de "pé atrás". Pensam perceber sempre o que os outros estão escondendo. São sociais, gostam de receber - a casa de um 6 é sempre hospitaleira - e pertencer a grupos, principalmente pela segurança de união contra um inimigo comum.

Patricia

A beleza de Patrícia Tá na malícia do olhar Tá no seu rosto de santa Tá na cadência do andar
Na lindeza dos seus olhos Amarrei o meu descanso E no segredo dos olhos um ... lago, fundo azul
Pelas curvas de Patricia eu quero me derrapar E morrer de velocidade sem ter tempo pra marcar
Em teus seios corre um rio que corta de norte a sul E eu me passo de navio e me perco nesse azul.
A beleza de Patricia é a boniteza que temo seu gesto de quem ia anunciando que vem
Anunciando o que vem Tissaaa, Tissaaaa Tissa, Tissa